• Nenhum evento cadastrado.
Facebook GSO Instagram GSO

Siga-nos
Nas nossas
Redes sociais!

Parceiros
PUBLICIDADE




SUPER GUIA NET



MBIEAEX



CADASTRO CURRÍCULOS



PISAST



Carta de Brasília



Comp. Nacional



Canal Bioenergía



ABPEx



Fique Informado
Cadastre-se para receber as novidades do GSO
Notícias :: Novidades sobre SST
Criado em 30 de Abril de 2010 | Atualizado em 17 de Maio de 2010

28 de abril - Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho



Em todo o mundo, a data lembra o outro lado do trabalho: o que acidenta, incapacita e mata.




Trabalho deve ser meio de vida e não de morte

Visando alertar a sociedade para a importância da prevenção de acidentes no trabalho, a OIT (Organização Internacional do Trabalho) adota, desde 2003, o dia 28 de abril como o dia mundial da segurança e saúde no trabalho, também lembrado como o dia internacional de manifesto pela vitimas de acidentes de trabalho e doenças profissionais. “Em maio de 2005, foi instituído o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, a ser celebrado em 28 de abril a cada ano, pela Lei nº 11.121/2005 (PL nº 856/2003, do Deputado Roberto Gouveia - PT/SP)”.

A idéia de estabelecer um dia de manifesto, porém, nasceu bem antes do movimento sindical no Canadá em 1984, sendo o primeiro país a reconhecer e adotá-lo como data nacional, em 1991, homenagem lançada por sindicatos e federações durante o Congresso do Trabalho. O dia foi escolhido mediante um acidente ocorrido em uma mina na virginia nos Estados Unidos que matou 78 trabalhadores no ano de 1.969.

A iniciativa rapidamente tomou corpo e ganhou o apoio das entidades internacionais como a OIT, a ONU e a OMS. Segundo a OIT, estima que no mundo 6.000 trabalhadores morrem a cada dia devido a acidentes e doenças relacionadas com o trabalho, a cada ano ocorrem 270 milhões de acidentes de trabalho não fatais (que resultam em um mínimo de três dias de afastamento) e 160 milhões de novos casos de doenças profissionais, dos trabalhadores mortos, 22 mil são crianças, vítimas do trabalho infantil.

No Brasil, os números apontam para uma GUERRA INVISIVEL em que perde por ano o equivalente a 2,3 do PIB podendo chegar a 4% se forem considerados também os acidentes e doenças que atingem trabalhadores do setor informal da economia, em 2007 (última publicação) o número atingiu 653.090 casos de acidentes, 27,5% a mais em relação ao ano anterior, registrando 2.708 mortes e 8.504 casos de invalidez permanente, em pleno século XXI era da informática e alta tecnologias, e ainda trabalhadores e trabalhadoras tratadas de forma medieval. É hora de darmos UM BASTA! Já dizia Charles Chaplin: “Não somos máquinas, homens e mulheres é que somos”.

Não apenas um dia para lembrar as vitimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, mas uma data para que possamos repensar nossas ações enquanto PREVENCIONISTAS, e repassar informações á sociedade sobre a importância da PREVENÇÃO real e efetiva nos ambientes de trabalho.

Atualmente precisamos de profissionais de segurança e saúde no trabalho, preparados para interagir não somente nos ambientes laborativos “empresas” mas conscientes de sua função junto a sociedade preparados para mostrar que o papel fundamental dos Técnicos, Eng.ºs de Segurança, Médicos do trabalho, Cipeiros entre outros prevencionistas é repassar o conhecimento técnico para o trabalhador (principal beneficiado nas ações de prevenção), para que este se conscientize dos cuidados básicos de segurança no trabalho que deve observar em seu dia a dia.

Sabemos que há ainda um longo caminho a ser percorrido, e estamos cientes que para tanto é preciso sensibilizar os trabalhadores e os empregadores da importância e seriedade com que as ações de prevenção devem ser encaradas, pois no Brasil ainda ocupa a incômoda quarta “4ª” posição no ranking das MORTES por ACIDENTE DO TRABALHO. Cremos ser possível fazer um trabalho de conscientização (Sociedade e Autoridades) da real necessidade de ações sérias e realmente de impacto dentro e fora dos portões das fábricas, pois instrução e educação são os fatores que mais influenciam na prevenção.

O momento é de REFLEXÃO, chamamos a sociedade em geral para que esta participe das ações que estão sendo intentadas para a Saúde e Segurança dos Trabalhadores, devemos nos informar sobre estas questões e interagir de todas as formas para que possamos defender interesses comuns, o bem estar nosso, de nossos filhos, família e amigos.

Nenhum trabalho vale o preço de uma VIDA.


Autoria: Equipe GSO



 
.: Voltar :.
Desenvolvido por: Agência .: Agência RO - Marketing e Propaganda :.